Dor no cotovelo? Pode ser epicondilite medial ou cotovelo de golfista

  • Feb, 15 , 19
  • Loja Virtual

Saiba mais sobre essa lesão, quais os seus sintomas e como se prevenir

Afinal, o que é o cotovelo do golfista?

Cotovelo de golfista ou epicondilite medial é, basicamente, a inflamação nos tendões dos flexores do punho. Esses tendões são responsáveis por movimentos que fazemos diariamente, como dobrar os dedos e os punhos, e girar a palma da mão para baixo.

A epicondilite medial é conhecida como cotovelo de golfista devido à alta incidência entre os praticantes desse esporte, cujos movimentos podem comprometer seu cotovelo. A epicondilite medial atinge por volta de 0,5% da população, principalmente pessoas ativas e com idades entre 45 e 55 anos.

 Epicondilite medial ou cotovelo de golfista

Qual a causa?

A causa principal da epicondilite medial é a sobrecarga repetitiva dos músculos flexores do antebraço, seja no esporte ou em afazeres profissionais ou domésticos. Após certas atividades repetidas e exaustivas, lágrimas microscópicas podem se formar no tendão. Ao longo do tempo, essas lágrimas causam inchaço do tendão e dor.

 Os fatores de risco (aquilo que aumenta de sofrer da lesão) da epicondilite medial são:

  • Movimentos repetitivos;
  • Desequilíbrio muscular;
  • Falta de flexibilidade muscular;
  • Idade avançada.

E daí? Eu não jogo golfe…

Apesar do nome, o cotovelo de golfista não se restringe apenas às pessoas que praticam golfe. Pode ocorrer até numa partida inofensiva de lançamento de dardos, ou qualquer atividade que envolva a torção contínua ou a flexão do pulso pode pressionar o tendão.

Outros esportes que podem ocasionar a epicondilite medial ou cotovelo de golfista:

  • Tênis, badminton ou squash;
  • Futebol americano ou rúgbi;
  • Musculação ou halterofilismo;
  • Beisebol;
  • Remo ou canoagem.

Atividades que também podem ocasionar a epicondilite medial ou cotovelo de golfista:

  • Agricultores;
  • Jardineiros (até os de final de semana);
  • Açougueiros;
  • Encanadores;
  • Operários da construção civil;
  • Usuários de informática;
  • Trabalhadores de linha de montagem;
  • Cozinheiros.

Como saber se é epicondilite medial

Os sintomas da epicondilite medial são:

  • Dor aguda na região interna do cotovelo que vai do interior do cotovelo até o dedo mindinho;
  • Dor ao dobrar o pulso em direção ao antebraço;
  • Dor quando o braço está esticado e a palma da mão, virada para cima;
  • Falta de força para segurar um copo de água ou abrir a torneira;
  • Dor quando aperta as mãos;
  • Sensação de formigamento no antebraço ou nos dedos (o anelar ou o mindinho);
  • O cotovelo fica rígido (dificuldade em dobrá-lo);

 

Esses sintomas podem desenvolver-se lentamente, ainda mais quando a causa é a repetição dos movimentos. 

 

Como se prevenir?

A prevenção diminui os riscos de recorrência. Tenha a real consciência de qual foi a causa de sua lesão para que você a evite, seja no trabalho, em casa ou nos esportes.

Lembrando que a epicondilite medial ou cotovelo de golfista ocorre pelo uso excessivo dos músculos que flexionam o punho. Então, é importante nunca os sobrecarregar.

Outras formas de prevenção incluem:

  • Faça alongamento do braço antes e depois de atividades que exigem o uso dos músculos do punho e braço;
  • Aos primeiros sinais de dor na parte interna do cotovelo, procure um médico;
  • Mantenha os músculos do braço, do ombro e do pulso fortalecidos;
  • Evite realizar atividades repetitivas durante alguns dias se essa foi a causa de sua epicondilite
  • Não carregue peso;
  • Não exagere no uso das ferramentas manuais;
  • Faça o uso de órteses para prevenção, elas dão suporte, aliviam as dores e aceleram o processo de recuperação;

      

    Mas, se você for um golfista...

    Você não tem que parar de fazer birdies e bater drives longos para evitar o cotovelo do golfista. Tomando algumas medidas, você aumentará a sua longevidade enquanto golfista, além de evitar lesões. Faça avaliações específicas como ponto de partida para jogar melhor.

    • Conheça as suas limitações físicas e assimetrias de movimento;
    • Faça regularmente treinamento físico específico para golfe;
    • Avalie o modelo dos seus tacos de golfe e dos outros acessórios;
    • Peça a um especialista em golfe para rever sua técnica de swing, através da captação de imagens e da análise biomecânica em 3D;
    • Busque coordenar seus movimentos de swing, de modo a torna-los eficientes, ou seja, transferindo energia sem desperdícios (desde os pés, passando pelo quadril, braços, até à cabeça do taco);

      Dica importante para quem tem epicondilite medial ou cotovelo de golfista 

      A epicondilite medial ou cotovelo de golfista pode ser tratada e prevenida de várias formas como citamos acima e, ela não deve mudar sua rotina de atividades.

      A Bauerfeind disponibiliza um produto que pode auxiliar na prevenção e recuperação da epicondilite medial. 

      Cotoveleira EpiTrainEpitrain: É uma cotoveleira que proporciona alívio da dor através da compressão exercida pelo tecido 3D e de seus pads estabilizadores. A compressão ativa a musculatura, reduz o inchaço e estabiliza a articulação auxiliando a recuperação.

       

       

       


       

      Fonte:

      https://www.tuasaude.com/epicondilite-medial/
      https://www.medicalnewstoday.com/articles/320949.php
      https://www.hospitalinfantilsabara.org.br/sintomas-doencas-tratamentos/cotovelo-do-golfista/
      http://maurogracitelli.com/blog/epicondilite-medial
      https://www.hong.com.br/dor-no-cotovelo-voce-sabe-o-que-epicondilite-medial/

       

      POSTAR UM COMENTÁRIO

      • Seu carrinho está vazio no momento.