Bursite no quadril: O que é e como tratar

O termo Bursite no quadril é utilizado para denominar um processo inflamatório que ocorre na região dos quadris. Geralmente é bem doloroso, e pode causar muitos incômodos.

Para entender melhor como a Bursite no quadril se manifesta, é necessário que você que saiba um pouco mais sobre o funcionamento do nosso organismo. Como já dissemos, a Bursite é uma inflamação, mas você sabe realmente como e onde especificamente isso acontece?


Bursite no quadril

O processo inflamatório ocorre na bursa, que é uma pequena bolsa revestida pela membrana sinovial (cheia de líquido sinovial). As bursas estão localizadas em algumas articulações, em especial nas de grande movimento como quadris e ombros, e sua função principal é reduzir o atrito entre os ossos, tendões e músculos.


Somente na região dos quadris temos de a 14 a 21 dessas estruturas. Elas funcionam como pequenas almofadas amortecedoras facilitando os movimentos. Porém, a bursa mais suscetível a sofrer inflamações é a que se localiza na lateral do quadril entre os músculos do glúteo e a região do fêmur conhecida como trocânter maior.

 

Bursite no quadril: O que é e como tratar



Outras Bursas que podem ser acometidas por inflamações são a dos músculos iliopsoas, que estão localizado na região anterior ou na frente do quadril e a dos músculos isquiotibiais, localizados na parte posterior da coxa.


Causas

O estresse por esforço repetitivo é a causa mais frequente relacionada ao aparecimento da Bursite no quadril. Esse estresse pode ser provocado pelo excesso de atrito, de carga durante atividades físicas ou, por fraqueza dos músculos. Quedas sobre o lado lateral, diferenças no comprimento dos membros e quadris largos, também são fatores para o aparecimento da lesão.

Estudos apontam que por fatores hormonais e anatômicos, as mulheres são mais acometidas de Bursite no quadril do que os homens, e os sintomas aparecem geralmente entre os 40 e 60 anos.

Há outros fatores que também estão associados ao aparecimento da Bursite no quadril:

• Doenças na coluna lombar;
• Entorse de tornozelo;
• Artrite reumatoide;
• Cirurgias prévias;
• Artrose de joelho e quadril;
• Doenças na articulação sacroilíaca;
• Gota;
• Diabetes, e
• Infecção por Staphylococcus aureus.


Sintomas

Dor intensa na face lateral do quadril, que irradia para a face lateral da coxa, é o principal sintoma de Bursite no quadril. A dor pode variar de intensidade e pode piorar quando o paciente executa alguns movimentos específicos como forçar ou cruzar as pernas. No entanto sintomas como inchaço, dor ao toque ou ao permanecer longos períodos deitado de lado também são comuns.

A Bursite no quadril é uma doença progressiva, ou seja, ela começa aos poucos com o aparecimento de dores que, a princípio, não são incapacitantes. Mas que com o decorrer do tempo, se não forem tratadas, podem evoluir para casos de dor aguda e muito incômoda, ocasionando desde distúrbios do sono até o aparecimento de dores intensas após caminhadas curtas.

Por esse motivo, quanto antes você identificar esses sintomas e procurar atendimento médico, melhor, pois se a doença não for tratada de forma correta pode tornar-se crônica e comprometer as estruturas envolvidas.

 


Diagnóstico, Exames e Tratamentos

O diagnóstico de Bursite no quadril é feito através da avaliação física feita por um médico. Nesta avaliação, o especialista levará e consideração alguns critérios: a sensibilidade na região, os sintomas descritos pelo paciente, e o resultado de testes de força nos músculos que o médio realizará.

Outros recursos que podem auxiliar e complementar o diagnóstico são os exames de imagem como a ressonância nuclear magnética e o ultrassom. Exames de raio-X podem ser solicitados para excluir a suspeita de fraturas e calcificações.

O objetivo geral dos tratamentos para Bursite no quadril é diminuir o processo inflamatório para obter alívio das dores e a diminuição da sobrecarga sobre as bursas. Os primeiros recursos utilizados para o controle e alívio da dor são o repouso da articulação afetada, aplicação local de gelo, medicamentos anti-inflamatórios e fisioterapia.

Quando o tratamento conservador não obtém os resultados esperados há outras possibilidades, entre elas o tratamento por ondas de choque e o procedimento conhecido por infiltração.

Procedimentos cirúrgicos são raramente indicados, mas em alguns casos, quando todos os outros métodos de tratamento falham, eles podem ser uma opção. Se esse for o caso, a cirurgia pode ser feita pelo método convencional ou artroscopia.




FONTES



Voltar para o blog